[COLUNA DE FÉRIAS] Ser poeta

Queria ser poeta para gritar ao mundo palavras soltas.
Verdades desenfreadas.
Falar das faltas que vivemos hoje.
Falta respeito.
Falta amor.
São tantas faltas que me perco na ausência.
Já não sei mais quem sou e para onde vou.
Queria ser poeta para dissertar sobre a dor e decretar o amor por regra e excelência.
Sem viver de aparências.
Apenas viver.
Me “perder” na maré de sentimentos.
Mas, falta. 
Falta o ser.
Falta o querer.
São tantas faltas.
 Decido ser presença.
Mesmo na irreverência.
Só quero ser.
Ser o poeta capaz de transcender.

JÉSSICA SENA DIM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *