[4ª Poética] Outono – Zenilda Lua

OUTONO

Olhos cravejados de sentidos

assopram a neblina em revoada

antes era sonho sem fim

de cada lado

hoje vidraça com desenhos molhados

querubins, sonetos, odes e lira.

Já vai para um ano

e eu ainda não consigo escutar Vander Lee

“você é primavera no final de maio”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *