[4ª Poética] Soneto de partida – Ailton Domingues

Soneto de partida 


Um dia, com certeza, eu poderei não mais pensar em ti
E nesse dia minha eterna ausência estará firmada neste plano
A não restar mais nada além de saudade e pranto
E a dor ainda viva do presente que regastes em mim

Seguirei pelo rito de passagem para algum lugar do infinito
Espero então, não morrer em minhas próprias memórias
Mas renascer sob risos e improvisos de minha história
E no alheio que fez viver meu coração em romance e delito

Mas, minha alma, onde quer que esteja, 
Levará dessa nossa história a essência 
O fruto do amor, que assim seja

E superando a adversidade que se calou
Sob sonhos e lutas de resistência
Deixo contigo a face do nosso amor que se eternizou.

AILTON DOMINGUES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *