[4ª Poética] Uma porta entreaberta – Elísio Mattos

Uma Porta entreaberta…

Na muralha do nada
Existia uma porta, com escadas
Onde levariam esses degraus que subiam ?
Estariam ali para mostrar-me
Que do nada, também se faz Poesia…
Então fui procurar dentro de uma porta vazia
Perdida no deserto da vida
Onde a escada me levaria…
E subi, devagar, observando e pensando
Que as vezes, dentro de mim
Nem tento procurar o caminho
Por onde eu preciso começar
Por encontra-me assim
E, minha alma solitária
Perdida no meio do nada
Nem encontra as palavras
Que quer escrever na Poesia,
Da procura de outra alma
Para comigo subir, de mãos dadas
A escada que de certo nos levará
A morada, onde juntos descobriremos, ser lá
Amantes e apaixonados
Então nós dois sempre assim
Seremos almas reencarnadas
Entrando  juntas, pela porta sublime do amor
Para nos tornarmos, eternos namorados…
Elísio Mattos 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *