{Dia da consciência negra} Sou eu – Mariane Helena

sou eu
Que conscientemente
Ainda brilho
Entre as esquinas margeadas
Ou nos palanques conquistados.
Sou eu
Que filha da negra-mae,
Continua forte, rebelde e livre!
Sou eu
Aquela que o passado não apagou;
Que a história não aprisionou;
E a que o futuro não esquecerá.
Sou eu
A mesma menina preta
Que chorava baixinho,
Mas que hoje aprendeu
A soltar o cabelo e a voz.
Sou eu
Norte, guerreira, resistente, bravia é capaz.
Sou eu
O estilo, a presença, o poder, sou a melanina.
Sou eu
Pássaro que voa;
Sou eu
Braço que conquista
Sou eu
A pedra que fica!
Sou eu
A trança, o turbante, a cultura e o tom.
Sou eu
A liderança, a luta… O sonho bom.
Sou eu
O dia a dia das privações, sou a aurora e o poente
E apesar de tudo
Ainda sou eu
A que sangra
A que chora
A que perde
A enlutada diariamente…
Sou eu
A incerteza de um cotidiano sem Oportunidades
Sou eu
A base da pirâmide
Mesmo assim
Sou a mesma
Que trouxe seus passos de longe
A que transborda amor
Ao tramar sonhos
Nos tecidos suados e contidos
Nós calabouços negreiros
A caminho do cais
Sou eu
A mãe-africa
De meninos barrigudos
De olhos fundos
Sem dores,nem alegrias.
Sou eu
Que munida dessa força nata
Sou eu,
Que hoje escreve versos de orgulho, gratidão e raça.
Sou eu
O resultado da história resiliente
Daquelas que traçaram
Rastros persistentes
Sou eu
A empoderada
A empreendedora
A inovadora
A incansável
A constante.
Eu sou,
A ilação de luta e glória
De negras que (talvez) esquecidas na história
Mas Sempre presentes
Em meu olhar.

(Mariane Helena)

Marcado com , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *