{4ª Poética} -Bandeira Branca -Tácia Rocha

Amo o jeito que você come batatas fritas

E o jeito que masco Trident não lhe incomoda.

Como tomo Napolitano nem liga:

Escorre calda de morango entre os meus dedos

E depois os limpo no branco da sua camisa.

E nem isso lhe desestabiliza!

Então não tente me entender

Têm dias que nem eu me entendo

E o ritmo que dança nem sempre consigo acompanhar.

Você não é muito fácil

Paciência não é seu forte

E coincidentemente é meu ponto fraco.

Mas, lhe venero de joelhos.

Amo seu olhar perdido e quando fica vermelho.

Amo suas mãos e a fortaleza do seu abraço.

Ninguém fica tão bem de moletom azul…

E permaneço devota do som dos seus passos.

Eu babo por você e lhe quero de volta!

Qualquer aborrecimento ficou para trás.

Anda, destranca essa porta.

(Tácia Rocha)

Marcado com , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *