[Versartil] Quisera Escrever – Acauã Pozino

Quisera escrever, quisera,
Mas como eu explico
Ao papel
Que as palavras recentes de meu dialeto
Se movem por dentro da dialética
Da ânsia de um beijo de Tanatos
E da fantasia de um beijo teu?

Como é que eu digo à Gramática
Ou, pior, à Ortografia
Que é igual a vontade de fuga
E a ilusão de pensar como seria
Aquela noite em frente ao mar
Que ainda não aconteceu?

Como é que se faz um poema
Tecendo entrelaçado os fios do verbo
Do fragoroso Rio de todos os meses
Que corre pro mar de Castros, Alves…
E a um só tempo também descrever nele
O rio de delírio que corre
No leito dos teus lábios
E no qual me atiraria como Inaiá?

Quisera escrever.
De verdade,
Quisera mesmo.
(Acauã Pozino)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *