Autor: Juliana Santos

Início da descrição: Selfie de Mariene Helena. Ela tem pele negra, cabelos e olhos de cor castanha escura. O cabelo é composto com pequenas tranças e está preso em rabo de cavalo, ela usa batom de cor bordô, e os olhos estão sombreados com maquiagem. Mariane sorri levemente e olha em direção a câmera. Fim da descrição.

{Ei, olha aqui} – Toda mulher – Mariane Helena

Toda mulher já nasce destemida Só teme a barata, porque ela não tem família. Só é frágil quando ainda  não lhe secou o esmalte. E estando em cima do salto, Não quer guerra com ninguém! Uso esse dia para valorizar as  Marias, antonias, Terezas… Que sobem e descem morros Em busca do pão, Onde sua […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Ndoma (Tambores) – Acauã Pozino

As profundezas soltaram seu grito: É hora. No coração o ocaso já se transformou em aurora Quem triste se achava nos tempos doutrora, Lance-se agora nesta magia; A terra treme, o céu se dobra, Desintegram-se num só golpe os açoites; Pois agora é a terra quem sagra seus nobres: A Dama dos Ventos e a […]

Continue a ler
Início da descrição: Na capa com fundo Marrom, uma sequência de três quadros pendurados com um grampo em um varal. No primeiro, o desenho de um casal, ela com uma coroa e ele com um chapéu de cangaceiro em formato de meia lua, um de frente para o outro e com as mãos juntas ao ar. No segundo quadro: um cacto e pássaros voando sobre a escrita: "Nas trilhas do cordel" "Alaíde Souza Costa". No terceiro quadro: dois homens de chapéu, sentados um ao lado do outro seguram uma viola. Logo abaixo das imagens, pequenas figuras de personagens dançantes, variando entre homens e mulheres, todos festejastes.

{Nas trilhas do cordel} Origem da literatura de Cordel – Alaíde Souza Costa

Olá, Forasters!                Neste primeiro texto, pretendo contar para vocês, sobre as origens  da Literatura de Cordel. E, para começar bem, vamos ler algumas estrofes dos Cordéis do maior precursor dessa rica Literatura: Minha alma triste suspira em deslumbrante desejo, ausente da minha terra, há tempos que não a […]

Continue a ler
início da descrição: Imagem cortada entre a máscara facial de um médico até a sua cintura. Ele usa jaleco azul, luvas brancas e um estetoscópio no pescoço. Suas mãos estão estendidas para a frente, entre elas, há um desenho no ar em branco: o desenho é a silhueta de um médico com um escudo, e espalhado em volta em variados tamanhos, esferas com ramificações, a representação do vírus covid19. Fim da descrição.

{4ª Poética} – O COMEÇO DO FIM – Robson Wagner de Souza

A alegria de estar livre  Que foi retirada na pandemia  Durou bem pouco Fazendo-me deixar  A liberdade que tanto queria  Enrolada no protocolo  Que eu esqueci Sob quem estava ao lado  Na maca a direita da minha  Que também estava entubado  Segurando o seu protocolo Apoiado sobre o peito insuflado  Sem mais nenhum leito vago […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Domingo – Acauã Pozino

Na janela da vida, Vendo o tempo passar Na rua da história, Bebendo meu sonhos E fumando memórias. (Acauã Pozino) Siga nossas redes sociais:  Facebook Instagram  Canal do YouTube

Continue a ler
Início da descrição: Na capa com fundo Marrom, uma sequência de três quadros pendurados com um grampo em um varal. No primeiro, o desenho de um casal, ela com uma coroa e ele com um chapéu de cangaceiro em formato de meia lua, um de frente para o outro e com as mãos juntas ao ar. No segundo quadro: um cacto e pássaros voando sobre a escrita: "Nas trilhas do cordel" "Alaíde Souza Costa". No terceiro quadro: dois homens de chapéu, sentados um ao lado do outro seguram uma viola. Logo abaixo das imagens, pequenas figuras de personagens dançantes, variando entre homens e mulheres, todos festejastes.

{Nas trilhas do cordel} – Apresentação – Alaíde Souza Costa

  Amados Forasters Apresento-me, postando um poema: O meu nome é Alaíde   Sobrenome? Souza Costa   Vim aqui para escrever   Só vai ler quem de mim, gosta   Sou goiana – sergipana   Quem é que em mim, aposta?  (Costa, Alaíde Souza. NAS TRILHAS DO CORDEL, Datagraf, 2015.) Por ser apaixonada pela Literatura de cordel desde a infância, […]

Continue a ler

{Ei, olha aqui} – Dia da visibilidade Trans – A luta, a resistência e a voz – Repost

Janeiro foi o mês da visibilidade Trans, um mês que marca a luta, a resistência e sobretudo,a voz e os direitos de trangêneros, transexuais e travestis. Por isso, nós do Faroeste, nos pintamos de Azul, Rosa e branco para celebrarmos essa data que precisa ser vivida diariamente. Ser diferente daquilo que as pessoas consideram normal, […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Apresentação – Acauã Pozino

Saudações a todos que dançam com lobos nesse faroeste das palavras! Me chamo Acauã Pozino. Tenho 19 anos, curso Letras Português-Espanhol na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), sou músico e poeta, dentre tantas áreas da vida que exploro. Me propus a trazer para os sábados dos leitores desse blog um pouco de […]

Continue a ler

{Crônica de Natal} – Natal para todas as famílias – Mariane Helena

Gente esse ano, até o papa (que é pop) garantiu e apoiou a todos o direito de se casar (dentro das suas convicções religiosas) e construir suas famílias. Sabendo disso, o papai Noel pensou em como fazer, para que esse ano tão difícil, se tornasse mais leve e de que forma ele também poderia homenagear […]

Continue a ler

{Crônica de natal} – O papai Noel se reinventou –

Esse ano o papai Noel, deu férias para as renas e mandou o trenó para o mecânico. Chamou os anões e montou um super grupo de whatsapp. E tudo isso para que?? Para continuar alcançando todas as crianças mesmo de longe, pois o mais importante nesse natal, não é o abraço ou a selfie no […]

Continue a ler