Categoria: Barbara Sanco

[4ª Poética] Contra o tempo – Barbara Sanco

Contra o tempo Aqui os relógios não fazem tique-taque. Muitos não fazem nenhum barulho. São contadores mudos, de línguas arrancadas pela Era digital. Não há romantismo nesses visores fosforescentes. Então olho para o tempo pela janela. Brinco de adivinhar as horas, olho o caminhar lento do Sol, e quando a Lua vira protagonista gosto de […]

Continue a ler

[4ª Poética] Contra o tempo – Barbara Sanco

Contra o tempo Aqui os relógios não fazem tique-taque. Muitos não fazem nenhum barulho. São contadores mudos, de línguas arrancadas pela Era digital. Não há romantismo nesses visores fosforescentes. Então olho para o tempo pela janela. Brinco de adivinhar as horas, olho o caminhar lento do Sol, e quando a Lua vira protagonista gosto de […]

Continue a ler

[4ª Poética] Acorde o Sol – Barbara Sanco

Acorde o Sol Não quero saber se um dia o tempo vai me transformar em pó. Só quero buscar o perdão, a paz e deixar de ser só. Se alguém estiver comigo nesta estrada, acorde o Sol para a nossa caminhada. Vou contar ao vento tudo que retina lembrar, semeando histórias aonde o futuro for […]

Continue a ler

[4ª Poética] Acorde o Sol – Barbara Sanco

Acorde o Sol Não quero saber se um dia o tempo vai me transformar em pó. Só quero buscar o perdão, a paz e deixar de ser só. Se alguém estiver comigo nesta estrada, acorde o Sol para a nossa caminhada. Vou contar ao vento tudo que retina lembrar, semeando histórias aonde o futuro for […]

Continue a ler