Categoria: Blog Faroeste Literário

início da descrição: Imagem dividida na diagonal, na parte superior uma casa com neve, na parte inferior, uma arvore vista de baixo. centralizado em letras Pretas contornado em amarelo: "entrEstações" e no rodapé, em branco: "Sarah drummond". Fim da descrição

{Estante Faroeste} – entrEstações – Sarah Drummond

Douglas estava curvado sobre si mesmo, os cotovelos apoiados nos joelhos e o queixo entre as mãos. As imagens cotidianas das pessoas de branco se misturavam com as lembranças em sua mente, assim como os sons e cheiros… Ouviu alguém dizer seu nome ao longe e olhou para cima, se deparando com o rosto do […]

Continue a ler

{4ª Poética} – Feliz melancolia – Luis Andrade.

Paira sobre mim uma melancolia estranha. Oculta no ar parado e quente que vigora nesse instante, ela toma meu coração fazendo-me cavalgar em inexplicáveis saudades, me deixando tenso como o arco quando impele a flecha ao alvo. Me levo através de tal sensação até sentir a psicológica capa de ansiedade me envolver, o que torna […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

[Versartil] Quisera Escrever – Acauã Pozino

Quisera escrever, quisera, Mas como eu explico Ao papel Que as palavras recentes de meu dialeto Se movem por dentro da dialética Da ânsia de um beijo de Tanatos E da fantasia de um beijo teu? Como é que eu digo à Gramática Ou, pior, à Ortografia Que é igual a vontade de fuga E […]

Continue a ler

{4ª Poética} Lá Luna – Mariane Helena

#Pratodosverem Foto colorida do céu noturno com algumas nuvens, a lua cheia brilha, se refletindo na  água abaixo. Na imensidão do céu, Não sou ar, nem sol. Também não sou breu! Apenas faço versos às estrelas Para alumiar-me minha vastidão só. Enamorada pelas luzes dalém… Me transformo em luar! Para transmutar; As tristezas em estrelas, […]

Continue a ler

{Das Ruas solitárias} – Deixe-me ir – Val saab

#Pratodosverem. Imagem em preto e branco de uma estrada de terra reta e com colunas de árvores. No centro escrito em Cinza: “Deixe-me ir”.   Você sabia quantas coisas eu tinha para lhe contar? Eu corri estradas e avancei rios para lhe dizer o quanto a vida nos abençoa e o quanto as voltas da […]

Continue a ler

[Das Ruas Solitárias] Conheça a nova coluna de Val Saab

#Pratodosverem. Com o rosto iluminado pela luz do sol, uma mulher de pele clara, cabelos grisalhos e ondulados na altura dos ombros, usa sombra da cor roxa e dourada e óculos de armação redonda com estampa de onça, o batom é rosa brilhante. Os brincos de argola duplas, e um colar de corrente com elos […]

Continue a ler

[4° Poética] Essa sou eu – Samantha

         #PraTodosVerem Fotografia de um desenho, feito com lápis colorido em folha branca.  No canto superior esquerdo em letras marrom e cursivas  “Maria Eduarda Cruz”, em baixo, à direita uma menina de pele clara, cabelos castanhos  cacheados, usa uma camiseta com listras horizontais em tons de rosa claro e escuro, e shorts cinza. (Descrição: Raquel […]

Continue a ler

{Mês de Teresa} Ser mulher negra é – Rejane Barroso

Ser mulher negra é ter que provar todos os dias que se é forte, mesmo que em algum momento não estejamos bem precisamos ser resistentes, pois temos uma sociedade racista e sexista, mas juntas somos mais, pois somente nós sabemos o que passamos. Seguimos Rejane Barroso

Continue a ler

{Mês de Teresa} Menina preta – Oraida Generoso

Menina PRETA                        Vendida e explorada Perdeu a pátria e os pais. Perdeu a terra que amava Liberdade…perdeu a paz! Encontrou a solidão A tristeza, o abandono, Mas num dia,numa fresta Um raio de Sol entrou. Saiu à cata de si, Novo rumo procurou. Livro, […]

Continue a ler

{Mês de Teresa} Ser negra é um privilégio – Ana Noé

Ser negra é um privilégio,nunca podemos aceitar a derrota. mas sempre devemos levantar a cabeça e seguir em frente,sabendo que no final vai valer a pena a lutaNão importa quão duro seja o caminho.

Continue a ler