Categoria: Edhson Brandão

[Orações A Saturno] Meu Nome Vilma – Edhson J. Brandão

Meu Nome Vilma Edhson J. Brandão eu lhe faria um doce agrado se aqui me estivesse mas de poeira que hoje sou e de lembrança que em você, estou, restam-se então as delícias do meu tempo que já foi. carregue então as flores em aventais para que eu me sinta próxima a você e depois […]

Continue a ler

[Orações A Saturno] Dar – Edhson J. Brandão

Dar Edhson J. Brandão tudo vai ficar uns quatrocentos reais. TUDO ISSO? NÃO TEM COMO FAZER MAIS BARATO? não tem não, minha filha. o que te fizeram foi muito forte. cê acha que vai ser barato pra mim desfazer esse enredo? MAS ESSE DINHEIRO EU NÃO TENHO AGORA. COMO VOU FAZER? se tiver uns duzentos […]

Continue a ler

[Orações A Saturno] Post Scriptum – Edhson J. Brandão

Post Scriptum [edhson j. brandão] Sentado no quarto, entre o livro e os cadernos, as palavras são inerentes. O lápis, a ponta redonda, evita a escrita que deve tomar forma redonda e contínua. Há muito o que dizer, mas falta a escrever. Não sabe, não vê, em dúvida: a forma que as palavras lhe toma. […]

Continue a ler

[Orações A Saturno] Post Scriptum – Edhson J. Brandão

Post Scriptum [edhson j. brandão] Sentado no quarto, entre o livro e os cadernos, as palavras são inerentes. O lápis, a ponta redonda, evita a escrita que deve tomar forma redonda e contínua. Há muito o que dizer, mas falta a escrever. Não sabe, não vê, em dúvida: a forma que as palavras lhe toma. […]

Continue a ler

[Orações A Saturno] delírio – Edhson J. Brandão

delírio [edhson j. brandão] hoje pequena. uma finura doentia e a cor de quem já cansa. estava na sua pele a marca de quem já vivera outrora. muitos. acontecimentos mal desabrocharam nesta fração de vida, mas restou a imagem seca e crua que é o passado. a pequena roseira de Rute morreu ainda ontem. sentida […]

Continue a ler

[Orações A Saturno] delírio – Edhson J. Brandão

delírio [edhson j. brandão] hoje pequena. uma finura doentia e a cor de quem já cansa. estava na sua pele a marca de quem já vivera outrora. muitos. acontecimentos mal desabrocharam nesta fração de vida, mas restou a imagem seca e crua que é o passado. a pequena roseira de Rute morreu ainda ontem. sentida […]

Continue a ler

[Orações A Saturno] 3 meta-poemas – Edhson J. Brandão

3 meta-poemas [edhson j. brandão] I Neguei meu discurso como versos negam meu espírito. (Sei do poema; não sei  é de ti). II iluminei                                           caminhos                   […]

Continue a ler

[Orações A Saturno] 3 meta-poemas – Edhson J. Brandão

3 meta-poemas [edhson j. brandão] I Neguei meu discurso como versos negam meu espírito. (Sei do poema; não sei  é de ti). II iluminei                                           caminhos                   […]

Continue a ler

[Orações A Saturno] Coito – Edhson J. Brandão

coito [edhson j. brandão] você, meu ledor, abra suas pernas e eu penetro meu verso rígido ereto concreto e metrado abra-me novamente e minhas rimas surtirão quentes eloquentes e dementes porque minha poesia não mente meu verso pleonasmo entre seu rasgo promete espasmos dísticos orgasmos gozo minha palavra para você, ledor que só gemia ah! […]

Continue a ler

[Orações A Saturno] Coito – Edhson J. Brandão

coito [edhson j. brandão] você, meu ledor, abra suas pernas e eu penetro meu verso rígido ereto concreto e metrado abra-me novamente e minhas rimas surtirão quentes eloquentes e dementes porque minha poesia não mente meu verso pleonasmo entre seu rasgo promete espasmos dísticos orgasmos gozo minha palavra para você, ledor que só gemia ah! […]

Continue a ler