Categoria: poesias

Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Soneto – Acauã Pozino

Na pressa de tocar a vida Esqueci de dizer que te amoþ Omiti meus instintos humanosþ Ostentei minha gala garrida. Na pressa de tocar a vida Esqueci em casa o ramo de flores, que haveriam de enfeitar um dia Teus cabelos com naturais fulgores. Mas agora, no aeroporto, Esperando, como tantas vezes O voo para […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

[Versartil] Quisera Escrever – Acauã Pozino

Quisera escrever, quisera, Mas como eu explico Ao papel Que as palavras recentes de meu dialeto Se movem por dentro da dialética Da ânsia de um beijo de Tanatos E da fantasia de um beijo teu? Como é que eu digo à Gramática Ou, pior, à Ortografia Que é igual a vontade de fuga E […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – O trem – Acauã Pozino

Esse trem, Ah, o trem!… Trem de doido, Trem azul, Trem afoito, para o norte ou para o sul. Trem das 7, Trem das 11, Trem que não esquece, Viajante de lá de longe. Neste trem já embarcou muita gente. Já houve choro, já houve riso, Já ouve coro, até cravo antigo, Já se comprou […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Arco-íris – Acauã Pozino

Holofotes brilham Na cidade alerta Uma escolha incerta Dançamos quadrilha Com o horror maravilha Que com balas frias Matou Marighella. (Acauã Pozino)

Continue a ler

{4ª Poética} Lá Luna – Mariane Helena

#Pratodosverem Foto colorida do céu noturno com algumas nuvens, a lua cheia brilha, se refletindo na  água abaixo. Na imensidão do céu, Não sou ar, nem sol. Também não sou breu! Apenas faço versos às estrelas Para alumiar-me minha vastidão só. Enamorada pelas luzes dalém… Me transformo em luar! Para transmutar; As tristezas em estrelas, […]

Continue a ler

[4ªPoética] Sem alegria – Miriam Mauro

                                      SEM ALEGRIA dei murro em ponta de faca, ousei e usei de muita valentia. hoje me sinto inerte, tão fraca, acabou-se toda a a bateria. não sei mais se espero e o quê, nem se vale a […]

Continue a ler

[4ª Poética] Uma porta entreaberta – Elísio Mattos

Uma Porta entreaberta… Na muralha do nada Existia uma porta, com escadas Onde levariam esses degraus que subiam ? Estariam ali para mostrar-me Que do nada, também se faz Poesia… Então fui procurar dentro de uma porta vazia Perdida no deserto da vida Onde a escada me levaria… E subi, devagar, observando e pensando Que […]

Continue a ler

[4ª Poética] Jogo – Miriam Mauro

JOGO acaba com minh’alma e meu corpo, faz o que bem entende de mim. me faço de rogada, faço pouco, e sabe que entrego mesmo assim. brincar de gato e rato é divertido mas já sabemos qual é o final: você faz que não vem e aparece, então criamos feriado nacional. Miriam Mauro

Continue a ler

[4ª Poética] Para dizer que te amo – Daniel Souza

PARA DIZER QUE TE AMO Busquei nos mais lindos versos, contos e poesias. A rima perfeita para te dar. Nôs mais belos textos um trecho, lindo para dizer te amo. Estão vi onde estava tudo,que eu precisava para falar te amo.  Estava no meu coração ,tudo em melodias poéticas. Você é a mais linda, e […]

Continue a ler

[4ª Poética] A escalada – Elísio Mattos

A escalada… Foi assim que descobri Que precisava fazer esta escalada Por mim, tentando segurar-me Para não cair Aprendendo a sabedoria da paciência Aceitando conhecer o que faltava Para crescer e subir ao pico Como uma águia, ir lá buscar o lugar Onde está o tesouro da verdadeira sabedoria Aquela que busco constantemente Observando e […]

Continue a ler