Categoria: poeta

Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Soneto – Acauã Pozino

Na pressa de tocar a vida Esqueci de dizer que te amoþ Omiti meus instintos humanosþ Ostentei minha gala garrida. Na pressa de tocar a vida Esqueci em casa o ramo de flores, que haveriam de enfeitar um dia Teus cabelos com naturais fulgores. Mas agora, no aeroporto, Esperando, como tantas vezes O voo para […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – O trem – Acauã Pozino

Esse trem, Ah, o trem!… Trem de doido, Trem azul, Trem afoito, para o norte ou para o sul. Trem das 7, Trem das 11, Trem que não esquece, Viajante de lá de longe. Neste trem já embarcou muita gente. Já houve choro, já houve riso, Já ouve coro, até cravo antigo, Já se comprou […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Arco-íris – Acauã Pozino

Holofotes brilham Na cidade alerta Uma escolha incerta Dançamos quadrilha Com o horror maravilha Que com balas frias Matou Marighella. (Acauã Pozino)

Continue a ler

Eu Morri – Davyd Vinicius

Eu já tive que morrer e renascer tantas vezes… Também já tive que conhecer e desconhecer muita gente… Foi necessário que eu aprendesse a lidar com o luto, talvez um pouco na marra, mas hoje está tudo bem. Tive que aprender a lidar comigo e principalmente a lidar com os outros, com a falta imposta […]

Continue a ler

Parabéns poetas!

Porque Escrevo? Por Não Suportar o Simples Fato de Viver, EscrevoPor Ter Muito a Dizer, EscrevoPor Ter Um Turbilhão de Sensações, EscrevoPor Muito Pesar, EscrevoPor Ser Meu Ar… Minha Razão, EscrevoPor Ter Necessidade de me Expressar, EscrevoPor Existir, EscrevoPara Me Libertar, EscrevoPara Voar, EscrevoPara Aflorar, Poeta!(Mariane Helena) Hoje 20 de outubro é dia do poeta! […]

Continue a ler

Parabéns poetas!

Porque Escrevo? Por Não Suportar o Simples Fato de Viver, EscrevoPor Ter Muito a Dizer, EscrevoPor Ter Um Turbilhão de Sensações, EscrevoPor Muito Pesar, EscrevoPor Ser Meu Ar… Minha Razão, EscrevoPor Ter Necessidade de me Expressar, EscrevoPor Existir, EscrevoPara Me Libertar, EscrevoPara Voar, EscrevoPara Aflorar, Poeta!(Mariane Helena) Hoje 20 de outubro é dia do poeta! […]

Continue a ler

Poeta Márcio S.P Taniguti

Marcio Sakyo Poffo Taniguti é catarinense nascido em 1988. Devido a complicações no parto, sofreu falta de oxigenação no cérebro e, como consequência, paralisia cerebral (coordenação motora totalmente afetada). Formado em jornalismo, gosta de literatura e tem dois livros lançados de poemas: Meus Primeiros Passos e Ecos do Tempo.  Não sou Não sou um herói […]

Continue a ler

Poeta Márcio S.P Taniguti

Marcio Sakyo Poffo Taniguti é catarinense nascido em 1988. Devido a complicações no parto, sofreu falta de oxigenação no cérebro e, como consequência, paralisia cerebral (coordenação motora totalmente afetada). Formado em jornalismo, gosta de literatura e tem dois livros lançados de poemas: Meus Primeiros Passos e Ecos do Tempo.  Não sou Não sou um herói […]

Continue a ler