Carregando...

FAROESTE LITERÁRIO

Para um amanhã com ainda mais histórias.

{ANDEI PENSANDO} – Que Mundo é Esse? – BIA FERNANDEZ

Que mundo é esse no qual vivemos? 😩 Que mundo é esse, em que traições são consideradas banais, onde a hipocrisia é parte do dia a dia? Que mundo é esse, onde não se dá mais bom dia, onde ser educado é raridade, onde sobra egoísmo e falta solidariedade? Que mundo é esse, onde ser […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Soneto – Acauã Pozino

Na pressa de tocar a vida Esqueci de dizer que te amoþ Omiti meus instintos humanosþ Ostentei minha gala garrida. Na pressa de tocar a vida Esqueci em casa o ramo de flores, que haveriam de enfeitar um dia Teus cabelos com naturais fulgores. Mas agora, no aeroporto, Esperando, como tantas vezes O voo para […]

Continue a ler
início da descrição: Sob a luz do sol, em um campo de girassóis, uma mulher loira de pele clara está de costas com um girassol na mão, próximo ao rosto. Seus cabelos estão soltos com duas pequenas tranças que coroam sua cabeça.. Fim da descrição.

{4ª Poética} – Girassol – Ana Luisa sene

Luz do sol Brisa do mar; A noite iluminada pela luz do Luar. Desejo infinito Amor escondido; Onde está as estrelas do mar? São elas que brilha nas noites sombrias? Vejo no horizonte escrito seu nome em nuvens formadas; Em uma linda camada. Amor está nas coisas e lembranças mais banais; Onde vejo seu sorriso […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

[Versartil] Quisera Escrever – Acauã Pozino

Quisera escrever, quisera, Mas como eu explico Ao papel Que as palavras recentes de meu dialeto Se movem por dentro da dialética Da ânsia de um beijo de Tanatos E da fantasia de um beijo teu? Como é que eu digo à Gramática Ou, pior, à Ortografia Que é igual a vontade de fuga E […]

Continue a ler
Início da descrição: Na capa com fundo Marrom, uma sequência de três quadros pendurados com um grampo em um varal. No primeiro, o desenho de um casal, ela com uma coroa e ele com um chapéu de cangaceiro em formato de meia lua, um de frente para o outro e com as mãos juntas ao ar. No segundo quadro: um cacto e pássaros voando sobre a escrita: "Nas trilhas do cordel" "Alaíde Souza Costa". No terceiro quadro: dois homens de chapéu, sentados um ao lado do outro seguram uma viola. Logo abaixo das imagens, pequenas figuras de personagens dançantes, variando entre homens e mulheres, todos festejastes.

{Nas Trilhas do Cordel} – UM TEXTO EM FORMATO DE CORDEL – Alaíde Souza Costa

  Olá, Forasters!   Sou muito fã, desde infante De rica Literatura Que bem emana Cultura Me faz ficar triunfante Escrevendo, vou avante Pois, meu texto nos convida A ler lembrança vivida E recordar fato afável O CORDEL FOI RESPONSÁVEL  POR TRANSFORMAR MINHA VIDA. Glosa: Alaíde Souza Costa Mote: Edilene Soares       Estão […]

Continue a ler

{Andei pensando} – Resenha Crônicas da Quase Noite por Jay Kristoff – Bia Fernandez

­Os livros que amamos nos amam de volta. E assim como nós marcamos a nossa posição nas páginas, as páginas deixam marcas em nós.   Oi, leitores do meu coração! Como essas palavras lhes encontram? Espero que bem, suportando da melhor maneira essa fase complicada que estamos enfrentando no país e no mundo. Eu sei […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – O trem – Acauã Pozino

Esse trem, Ah, o trem!… Trem de doido, Trem azul, Trem afoito, para o norte ou para o sul. Trem das 7, Trem das 11, Trem que não esquece, Viajante de lá de longe. Neste trem já embarcou muita gente. Já houve choro, já houve riso, Já ouve coro, até cravo antigo, Já se comprou […]

Continue a ler
Início da descrição: Paisagem de um campo com grama, nele há dois morros, e o solo do campo é formado por um grande livro aberto. Na parte esquerda do livro, no primeiro morro, uma árvore com folhas vermelhas, que também são levadas com o vento. Na parte direita, uma menina de vestido Branco e mochila nas costas segura um fio com balões vermelhos. Ao fundo, o pôr do sol e seus raios cortando um céu semi nublado.. Fim da descrição.

{4ª Poética} – TUDO – Maria do Socorro Araújo Rodrigues

Desejo estar cheio de muitas recordações inteiro sou sentimentos me tiram os pés do chão. Faço viagens longínquas mesmo só na imaginação. Meu coração é tambor de tanta palpitação. Tudo em volta é festa grande satisfação. Escolhi viver a vida com aquela sensação que tudo é importante no tempo e ocasião.. (Maria do Socorro Araújo […]

Continue a ler
Início da descrição: Foto de busto de uma mulher sorridente se balançando em um balanço preso a uma árvore. Ela é negra, tem cabelos crespos na altura dos ombros, usa blusa de crochê amarela. Ao fundo, veem-se folhas verdes contra o sol.. Fim da descrição.

{Ei, olha aqui} – ser feliz – Mariane Helena

Ter felicidade é quando o simples já te satisfaz; Ter felicidade é o contento com cada gesto ao longo do dia! Ser feliz é ter amores na vida (principalmente o próprio); Ser feliz com o sabor, o calor, o frio… Enfim é ser grato! Ser feliz é ter a gratidão de aceitar o que o […]

Continue a ler
Início da descrição: Em um banco de madeira há um casaco de lã amarelo, sobre ele um livro aberto e um óculos. O chão é de terra e com folhas secas, ao fundo uma árvore com frutos redondos avermelhados, espalhados em seus galhos. No topo, escrito com letras pretas: "Diversidade literária". No centro: Marivalda Paticcié". Fim da descrição.

{Diversidade literária} – Analise: Bom dia Camaradas Ondijaki – Marivalda Paticcie

Olá, Camarada Leitor Brasileiro! Hoje a abordagem, é sobre a publicação do romance Bom dia Camaradas, do jovem escritor angolano Ondijaki. Essa abordagem torna – se uma ótima oportunidade, para retornarmos um contato, extremamente proveitoso que houve um dia:  A ligação com a literatura africana de língua portuguesa. Continente que abriga a origem de boa […]

Continue a ler