Dia: 11 de novembro de 2015

[4ª Poética] Meu anjo negro – Maria José

Quando eu era uma criança Nunca um anjo, pude ser Porque sempre diziam Como um anjo queres ser? Já viste um anjo negro??? É melhor te esquecer. Olhando, este anjo negro?? Senti satisfação Uma imensa alegria E paz no coração! Anjo negro, és tão belo! Com suas asas imponente, Tu existe meu anjo negro? Como […]

Continue a ler

[4ª Poética] Meu anjo negro – Maria José

Quando eu era uma criança Nunca um anjo, pude ser Porque sempre diziam Como um anjo queres ser? Já viste um anjo negro??? É melhor te esquecer. Olhando, este anjo negro?? Senti satisfação Uma imensa alegria E paz no coração! Anjo negro, és tão belo! Com suas asas imponente, Tu existe meu anjo negro? Como […]

Continue a ler

[4ª Poética] A boca que mais amei beijar – Paulo E. C. Pereira

Das bocas que beijei A sua foi a que mais amei Com o teu beijo fui provar o amor Nessa boca amada fui encontrar o sabor Era um toque suave dos lábios que amei Foi o tempero amado que da tua boca provei Boca em forma de coração Que provei o quanto é bom beijar […]

Continue a ler

[4ª Poética] A boca que mais amei beijar – Paulo E. C. Pereira

Das bocas que beijei A sua foi a que mais amei Com o teu beijo fui provar o amor Nessa boca amada fui encontrar o sabor Era um toque suave dos lábios que amei Foi o tempero amado que da tua boca provei Boca em forma de coração Que provei o quanto é bom beijar […]

Continue a ler

[4ª Poética] – Liliane Oliveira

Levada ao ritual  No ritmo macabro da dança vampírica  Feche a minha alma novamente  Sempre pude encontrar a abertura no seu coração  Batimentos que pedem por túmulos em “V” de vingança  Explore seus pecados, eu sou a salvação para a sua perdição, no meu coração o encontro macabro de nossas almas  Cercada por essa vontade […]

Continue a ler

[4ª Poética] – Liliane Oliveira

Levada ao ritual  No ritmo macabro da dança vampírica  Feche a minha alma novamente  Sempre pude encontrar a abertura no seu coração  Batimentos que pedem por túmulos em “V” de vingança  Explore seus pecados, eu sou a salvação para a sua perdição, no meu coração o encontro macabro de nossas almas  Cercada por essa vontade […]

Continue a ler

[4ª Poética] Nasci Poeta – Diego Sant’Anna

Quando meus lábios foram feitos, Juntei os sons e transformei em melodia. Quando meus olhos desabrocharam, Eu enxergava o que ninguém podia ver. Então descobri que eu era diferente, Nasci poeta. Diego Sant’Anna

Continue a ler

[4ª Poética] Nasci Poeta – Diego Sant’Anna

Quando meus lábios foram feitos, Juntei os sons e transformei em melodia. Quando meus olhos desabrocharam, Eu enxergava o que ninguém podia ver. Então descobri que eu era diferente, Nasci poeta. Diego Sant’Anna

Continue a ler

[4ª Poética] Uma lágrima – Maria José

Uma lágrima Um sorriso Um gesto Uma afeição! Um carinho Um afeto Um forte abraço Um grande aperto de mãos! Uma mágoa ressentida Um perdão Uma sincera amizade Um imenso coração! Maria José

Continue a ler

[4ª Poética] Uma lágrima – Maria José

Uma lágrima Um sorriso Um gesto Uma afeição! Um carinho Um afeto Um forte abraço Um grande aperto de mãos! Uma mágoa ressentida Um perdão Uma sincera amizade Um imenso coração! Maria José

Continue a ler