Dia: 25 de novembro de 2015

[4ª Poética] O entardecer – Maria José

Sento na minha varanda Olho o horizonte  E contemplo o pôr do sol! Sinto em minha alma Uma imensa calma Que invade todo o meu ser. Ouço o canto dos pássaros,  Que voam para os seus ninhos No entardecer. Paz tão serena! Noite que se aproxima  Com o entardecer. Só eu e o fim de […]

Continue a ler

[4ª Poética] O entardecer – Maria José

Sento na minha varanda Olho o horizonte  E contemplo o pôr do sol! Sinto em minha alma Uma imensa calma Que invade todo o meu ser. Ouço o canto dos pássaros,  Que voam para os seus ninhos No entardecer. Paz tão serena! Noite que se aproxima  Com o entardecer. Só eu e o fim de […]

Continue a ler

[4ª Poética] Brenda Lima

Ela já não é mais a mesma , não acredita em promessas. Se esforça para ser apenas uma garota fria e inversível. A morte vem busca lá , mas não a leva a deixa para sofrer mais um pouco. Espera não se apaixonar facilmente porém se encanta facilmente com as pessoas , ninguém sabe e […]

Continue a ler

[4ª Poética] Brenda Lima

Ela já não é mais a mesma , não acredita em promessas. Se esforça para ser apenas uma garota fria e inversível. A morte vem busca lá , mas não a leva a deixa para sofrer mais um pouco. Espera não se apaixonar facilmente porém se encanta facilmente com as pessoas , ninguém sabe e […]

Continue a ler

[4ª Poética] Pensamentos – Paulo Henrique

Pensamentos Uma lágrima Sentimentos não passam de um simples e complexo pensamento  Que nos faz bem e nos faz mal. Que loucura um sentimento de amor faz com a gente, Imagine uma paixão louca e obsecadamente constante A dor da perda… O sentimento de perder aquele amor… Que você nunca esqueceu… Que não sai da […]

Continue a ler

[4ª Poética] Pensamentos – Paulo Henrique

Pensamentos Uma lágrima Sentimentos não passam de um simples e complexo pensamento  Que nos faz bem e nos faz mal. Que loucura um sentimento de amor faz com a gente, Imagine uma paixão louca e obsecadamente constante A dor da perda… O sentimento de perder aquele amor… Que você nunca esqueceu… Que não sai da […]

Continue a ler

[4ª Poética] Contra o tempo – Barbara Sanco

Contra o tempo Aqui os relógios não fazem tique-taque. Muitos não fazem nenhum barulho. São contadores mudos, de línguas arrancadas pela Era digital. Não há romantismo nesses visores fosforescentes. Então olho para o tempo pela janela. Brinco de adivinhar as horas, olho o caminhar lento do Sol, e quando a Lua vira protagonista gosto de […]

Continue a ler

[4ª Poética] Contra o tempo – Barbara Sanco

Contra o tempo Aqui os relógios não fazem tique-taque. Muitos não fazem nenhum barulho. São contadores mudos, de línguas arrancadas pela Era digital. Não há romantismo nesses visores fosforescentes. Então olho para o tempo pela janela. Brinco de adivinhar as horas, olho o caminhar lento do Sol, e quando a Lua vira protagonista gosto de […]

Continue a ler

[4ª Poética] Acorde o Sol – Barbara Sanco

Acorde o Sol Não quero saber se um dia o tempo vai me transformar em pó. Só quero buscar o perdão, a paz e deixar de ser só. Se alguém estiver comigo nesta estrada, acorde o Sol para a nossa caminhada. Vou contar ao vento tudo que retina lembrar, semeando histórias aonde o futuro for […]

Continue a ler

[4ª Poética] Acorde o Sol – Barbara Sanco

Acorde o Sol Não quero saber se um dia o tempo vai me transformar em pó. Só quero buscar o perdão, a paz e deixar de ser só. Se alguém estiver comigo nesta estrada, acorde o Sol para a nossa caminhada. Vou contar ao vento tudo que retina lembrar, semeando histórias aonde o futuro for […]

Continue a ler