Categoria: 4ª Poética

#Pratodosverem um coração se forma com cacos de vidro transparente de diversos tamanhos, ao redor pequenos estilhaços estirados sobre um fundo branco.

{4ª poética} obra de arte – Mirian Mauro

quando enfim você desiste, só o que sobra são cacos, restos, entulhos, estilhaços.

Continue a ler
#Pratodosverem uma menina segura um sabiá com as duas mãos. O bico dele se encontra nos lábios dela, ela está de olhos fechados. A menina tem pele clara, sardas no nariz e bochechas, e cabelos castanhos curtos e soltos ao rosto. Fim da descrição

{4ª poética} Pureza – Ana Sene

Pureza é um encanto da beleza De ser criança e viver uma bela infância; Doce infância onde brinca e corre diversão não esnobe. Pureza em um pequeno olhar profundo da inocência; Onde a maldade não se entenda. Pureza em seu jeito de falar me faz encantar. Eu escolhi te amar Meu pequeno sabiá.

Continue a ler
#Pratodosverem paisagem do mar e o horizonte, o céu em degradê de azul e laranjado. Em primeiro plano, apoiado sobre uma janela, do lado de um tecido leve e quase transparente, uma vela parcialmente derretida. A chama é composta por uma folha, ao lado tem uma concha em espiral com formato de cone, logo acima voa uma borboleta.

{4ª poética } PARTIU MINHA POESIA – Robson Wagner de Souza

Acordei sem inspiração O vazio me completa Procuro palavras em vão E a poesia se dispersa. Por mais que tento Nada vem Procuro dentro Nada tem! Desencontro desesperado Preciso me encontrar Tento sonhar acordado Não consigo me achar. Desprovido da palavra Cada linha espera um verso A caneta o papel lavra E as estrofes ficam […]

Continue a ler
#Pratodosverem uma mulher de costas sentada numa canoa segurando um remo, ela tem pele clara, cabelos escuros e soltos na altura dos ombros, veste um colete salva-vidas. Ela rema numa lagoa com águas claras e esverdeadas. Ao fundo, árvores, grandes montanhas rochosas e com neve nos pontos extremos. E o céu azul com algumas nuvens brancas. A imagem é cortada ao meio com uma linha na diagonal, a parte da direita está com filtro vermelho. Nessa parte, com letras brancas está escrito: "quando não há ne

{4ª Poética} NÃO SEJA PACATO! – (Marli da Silva

Tudo pode ser diferente, Só depende da gente Parar de se comportar como coitado E ficar esperando sentado Que as coisas deem uma guinada Sem fazer nada. Por que cultivar tristeza Ou culpar aos outros Pelas nossas fraquezas? É preciso deixar de bobagem; Procurar ter muita coragem De dar os primeiros passos, Sem temer os […]

Continue a ler
início da descrição: Sob a luz do sol, em um campo de girassóis, uma mulher loira de pele clara está de costas com um girassol na mão, próximo ao rosto. Seus cabelos estão soltos com duas pequenas tranças que coroam sua cabeça.. Fim da descrição.

{4ª Poética} – Girassol – Ana Luisa sene

Luz do sol Brisa do mar; A noite iluminada pela luz do Luar. Desejo infinito Amor escondido; Onde está as estrelas do mar? São elas que brilha nas noites sombrias? Vejo no horizonte escrito seu nome em nuvens formadas; Em uma linda camada. Amor está nas coisas e lembranças mais banais; Onde vejo seu sorriso […]

Continue a ler
Início da descrição: Na paisagem, o céu está em tons de Cinza, Alaranjado e Rosa, no canto inferior direito, uma arvore meio inclinada, de onde saem folhas que estão voando com o vento. Fim da descrição.

{4ª Poética} – Passaredo – Marlon Drumond Viana

Passamos pela cidade Sem cortes ,soltos, Passamos pelo vento Recalcados fortes Passamos pelo amor Angustiados, sem tom Passamos pelas flores Lindas, lúdicas Passamos pela inconfidência Cansados, felizes Passamos pelo mar Sem medo,, sem tom Passamos pelas ditaduras Pintados, de pés descalços Passamos pelo lúdico Crianças, generosas Passamos pelos poetas De canetas ,nas mãos Passamos pelas […]

Continue a ler
Início da descrição: Paisagem de um campo com grama, nele há dois morros, e o solo do campo é formado por um grande livro aberto. Na parte esquerda do livro, no primeiro morro, uma árvore com folhas vermelhas, que também são levadas com o vento. Na parte direita, uma menina de vestido Branco e mochila nas costas segura um fio com balões vermelhos. Ao fundo, o pôr do sol e seus raios cortando um céu semi nublado.. Fim da descrição.

{4ª Poética} – TUDO – Maria do Socorro Araújo Rodrigues

Desejo estar cheio de muitas recordações inteiro sou sentimentos me tiram os pés do chão. Faço viagens longínquas mesmo só na imaginação. Meu coração é tambor de tanta palpitação. Tudo em volta é festa grande satisfação. Escolhi viver a vida com aquela sensação que tudo é importante no tempo e ocasião.. (Maria do Socorro Araújo […]

Continue a ler

{4ª Poética} -Bandeira Branca -Tácia Rocha

Amo o jeito que você come batatas fritas E o jeito que masco Trident não lhe incomoda. Como tomo Napolitano nem liga: Escorre calda de morango entre os meus dedos E depois os limpo no branco da sua camisa. E nem isso lhe desestabiliza! Então não tente me entender Têm dias que nem eu me […]

Continue a ler
Início da descrição: Imagem em preto e branco. Um punho cerrado e erguido, a luz branca dá foco nos dedos da mão que estão fechados forçadamente. O fundo é preto. Fim da descrição.

{4ª Poética} – Resistência – Vicente Blood

Sigo seguindo na resistência combatendo a intolerância Muitas vezes fingindo demência pra sobreviver a tanta ignorância Neste mundo de violência empurrado desde a infância Imprescindível manter paciência, coerência na militância Cega ganância, extravagância só fortalecem essa indecência Não dar importância, aumenta a distância e multiplica a violência Da nojo de ver, quem tá no poder […]

Continue a ler
início da descrição: Imagem cortada entre a máscara facial de um médico até a sua cintura. Ele usa jaleco azul, luvas brancas e um estetoscópio no pescoço. Suas mãos estão estendidas para a frente, entre elas, há um desenho no ar em branco: o desenho é a silhueta de um médico com um escudo, e espalhado em volta em variados tamanhos, esferas com ramificações, a representação do vírus covid19. Fim da descrição.

{4ª Poética} – O COMEÇO DO FIM – Robson Wagner de Souza

A alegria de estar livre  Que foi retirada na pandemia  Durou bem pouco Fazendo-me deixar  A liberdade que tanto queria  Enrolada no protocolo  Que eu esqueci Sob quem estava ao lado  Na maca a direita da minha  Que também estava entubado  Segurando o seu protocolo Apoiado sobre o peito insuflado  Sem mais nenhum leito vago […]

Continue a ler