Categoria: FaroesteLiterário

Início da descrição: Na capa com fundo Marrom, uma sequência de três quadros pendurados com um grampo em um varal. No primeiro, o desenho de um casal, ela com uma coroa e ele com um chapéu de cangaceiro em formato de meia lua, um de frente para o outro e com as mãos juntas ao ar. No segundo quadro: um cacto e pássaros voando sobre a escrita: "Nas trilhas do cordel" "Alaíde Souza Costa". No terceiro quadro: dois homens de chapéu, sentados um ao lado do outro seguram uma viola. Logo abaixo das imagens, pequenas figuras de personagens dançantes, variando entre homens e mulheres, todos festejastes.

[Nas trilhas do cordel] Estruturas poéticas: Agrupamento de estrofes – Alaíde Souza Costa

ESTRUTURA POÉTICA DO CORDEL: AGRUPAMENTO DE ESTROFES Olá, Forasters! E eu disse: Uma família mostrou Como criar um cordel Me senti maravilhada Num mundo de Menestrel Oração, Métrica e Rima Coloquei no meu papel.                      (Alaíde Souza Costa)       Estou de volta e vou […]

Continue a ler
#Pratodosverem um coração se forma com cacos de vidro transparente de diversos tamanhos, ao redor pequenos estilhaços estirados sobre um fundo branco.

{4ª poética} obra de arte – Mirian Mauro

quando enfim você desiste, só o que sobra são cacos, restos, entulhos, estilhaços.

Continue a ler
#Pratodosverem uma mulher de costas sentada numa canoa segurando um remo, ela tem pele clara, cabelos escuros e soltos na altura dos ombros, veste um colete salva-vidas. Ela rema numa lagoa com águas claras e esverdeadas. Ao fundo, árvores, grandes montanhas rochosas e com neve nos pontos extremos. E o céu azul com algumas nuvens brancas. A imagem é cortada ao meio com uma linha na diagonal, a parte da direita está com filtro vermelho. Nessa parte, com letras brancas está escrito: "quando não há ne

{4ª Poética} NÃO SEJA PACATO! – (Marli da Silva

Tudo pode ser diferente, Só depende da gente Parar de se comportar como coitado E ficar esperando sentado Que as coisas deem uma guinada Sem fazer nada. Por que cultivar tristeza Ou culpar aos outros Pelas nossas fraquezas? É preciso deixar de bobagem; Procurar ter muita coragem De dar os primeiros passos, Sem temer os […]

Continue a ler

[Faroeste News] Colabore com a impressão do livro de poesias do Clube Dora!

Olá, forasters! O projeto “Poetizando em Flor”, sob o comando da Voluntária Mariane Helena @escritora_mariane_helena , chegou ao fim e o livro de poesia do Clube Dora está quase pronto… Ajude esse sonho a tornar-se realidade!! 📝 Colabore com a impressão do livro de poesias do Clube Dora! 📚 Doe: – R$ 25,00 para ajudar […]

Continue a ler

[Dica de Leitura] Aconteceu Você – Jas Silva

Sinopse: Aconteceu você conta a história de Helena, uma estudante de dezenove anos que se tornou garota de programa para poder fugir do seu passado. Cansada dos abusos e humilhações que passou na infância, ela acabou descobrindo que essa seria a melhor maneira de se distanciar da sua família e sobreviver. Do outro lado da […]

Continue a ler

[Dica de Leitura] Aconteceu Você – Jas Silva

Sinopse: Aconteceu você conta a história de Helena, uma estudante de dezenove anos que se tornou garota de programa para poder fugir do seu passado. Cansada dos abusos e humilhações que passou na infância, ela acabou descobrindo que essa seria a melhor maneira de se distanciar da sua família e sobreviver. Do outro lado da […]

Continue a ler

[Contos de Halloween] O lago – Márcio Benjamin

Quando a agulha do angustiado bordado lhe entrou fundo no indicador, a mulher sobressaltou-se, levado o dedo à boca.Quase onze. Nada do menino.Aflita, ficou entre preparar um chá de camomila e tirar o pó da cristaleira antiga.Permaneceu sentada, afinal.Lá fora, a noite então calma, lhe parecia agora assustadora, com sua tranqüilidade de morte.Não morte. Nada […]

Continue a ler

[Contos de Halloween] O lago – Márcio Benjamin

Quando a agulha do angustiado bordado lhe entrou fundo no indicador, a mulher sobressaltou-se, levado o dedo à boca.Quase onze. Nada do menino.Aflita, ficou entre preparar um chá de camomila e tirar o pó da cristaleira antiga.Permaneceu sentada, afinal.Lá fora, a noite então calma, lhe parecia agora assustadora, com sua tranqüilidade de morte.Não morte. Nada […]

Continue a ler