Categoria: Versartil

Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} Canto Negro – Acauã Pozino

Barua ya Upinde wa Mvua (Carta do Arco-ìÍis) Bom-dia, pra quem é de bom-dia, Boa-noite, pra quem é de boa-noite; rVenho falar sobre os descartados da eugenia, Venho falar de quem sangrou sob o rijo açoite. Mas antes, hei de fazer Alguumas singelas considerações; Porque muitos haverão de falar que são bravatas, ilegítimas; Versos fanfarrões. […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versátil} – Achados – Acauã Pozino

O presente de amar O futuro de Existir O passado de sofrer. A técnica do mergulho. (Acauã Pozino)

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Desejos – Acauã Pozino

Queria que a força de meus braços se gastasse Entre abraços e gestos de carinho Entre danças e alianças no caminho E não no esforço de abri-lo pra que eu passe. Pra que nós passemos. Queria que a umidade de meus lábios Fosse gasta entre beijos e suspiros Entre juras e truques pervertidos E não […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – O Condor – Acauã Pozino

Contaram-me de um tempo Em que um pássaro esquivo Tão voraz quanto altivo Nos veio assombrar. Planava no vento Com ventos varria Garbosas poesias Nativos lamentos. Sua língua, disseram, Soava estrangeira, Desbotada, grosseira, Sem alma, sem versos. Diz-se que só conhecia A rude linguagem das armas Dos cofres moedas e arcas: Avesso ao cantar e […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – O Luau – Acauã Pozino

Vai-se a Lua, Com as estrelas atrás, Sai o sol imponente Prometendo-me um dia a mais. Pela praia afora espalham-se Os restos de alegria conjunta Manifestos da rebeldia enxuta Da juventude que o país descarta. Cada um vai por si se despedindo Novas velhas amizades vão surgindo E enquanto isso o Sol já vai lá […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Soneto – Acauã Pozino

Na pressa de tocar a vida Esqueci de dizer que te amoþ Omiti meus instintos humanosþ Ostentei minha gala garrida. Na pressa de tocar a vida Esqueci em casa o ramo de flores, que haveriam de enfeitar um dia Teus cabelos com naturais fulgores. Mas agora, no aeroporto, Esperando, como tantas vezes O voo para […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

[Versartil] Quisera Escrever – Acauã Pozino

Quisera escrever, quisera, Mas como eu explico Ao papel Que as palavras recentes de meu dialeto Se movem por dentro da dialética Da ânsia de um beijo de Tanatos E da fantasia de um beijo teu? Como é que eu digo à Gramática Ou, pior, à Ortografia Que é igual a vontade de fuga E […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – O trem – Acauã Pozino

Esse trem, Ah, o trem!… Trem de doido, Trem azul, Trem afoito, para o norte ou para o sul. Trem das 7, Trem das 11, Trem que não esquece, Viajante de lá de longe. Neste trem já embarcou muita gente. Já houve choro, já houve riso, Já ouve coro, até cravo antigo, Já se comprou […]

Continue a ler
Início da descrição: Capa colorida, ao fundo, uma estante de livros desfocada. No topo, em letras brancas "Acauã Pozino". No centro, em um livro inclinado de capa azul, lê-se versartil na cor branca com uma sílaba abaixo da outra. Atrás das letras uma flecha preta liga as sílabas "ver e til". Em baixo no rodapé da imagem, uma marca d'água, com um cactos, símbolo do blog.

{Versartil} – Arco-íris – Acauã Pozino

Holofotes brilham Na cidade alerta Uma escolha incerta Dançamos quadrilha Com o horror maravilha Que com balas frias Matou Marighella. (Acauã Pozino)

Continue a ler